Episódio #14 Temporada 4: À conversa com Maria Cunha, CEO das Josefinas

Maria Cunha, CEO das Josefinas, vestida de preto com ténis brancos "Josefinas", sentada num sofá rosa.
Maria Cunha, CEO das Josefinas

Do sapato de cristal da Cinderela aos sapatos vermelhos da Dorothy no Feiticeiro de Oz, passando pelos que, no mundo real, nos arrebatam qual amor à primeira vista, no imaginário da Anita e de muitas mulheres mundo fora, há magia num par (ou muitos) de sapatos.

A história que aqui nos traz hoje combina sabrinas, amor e inspiração, arte e saber-fazer. O resultado? Magia.

Um projeto de mulheres para mulheres que, se na sua génese já se inspirava em algo maior, tem crescido aspirando, também, a uma causa maior: Inspirar e criar um mundo melhor para as mulheres.

De Braga para o mundo, as Josefinas são, não apenas um caso de sucesso, mas um caso sério de amor, alcançando o estatuto tão invejado de “love brand”.

Para nos contar e inspirar, temos o prazer de receber hoje a Maria Cunha, CEO das Josefinas.

Podem encontrar as Josefinas aqui:
Josefinas.com
“You can leave”, Josefinas
Josefinas no Instagram

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas, mais coisa menos coisa, com um ponto de situação nos seus projetos. No entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no Instagram, em @anita_no_trabalho, e ainda em anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | twitter | Instagram
Billy: airdesignstudio.com | facebook | Instagram

Anita no Trabalho é um podcast produzido por Ana Isabel Ramos – designer, ilustradora e knitwear designer em airdesignstudio.com e instagram.com/air_billy – e Eliana Soares – marketeer e estratega em nautilo.net e instagram.com/elice_inwonderland.

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.