Author: anitanotrabalho

Episódio #16: O primeiro de 2017

Episódio #1 Temporada 2

Ano novo, clichés antigos…que melhor momento para alguma introspeção e definição de novos desafios que um início de ano?
A Anita acordou em Janeiro em sobressalto, com a sensação de alguém lhe ter roubado uma folha ao calendário e, com um café bem forte na chávena, fechou para balanço qual contabilista em processo de inventário e fecho de contas.

Umas horas, que mais pareceram dias, mais tarde, saiu do processo de hibernação com uma visão, objetivos e plano para 2017 e muita alegria para dar e vender.

2017 começa assim, com vida e formatos novos, com novas ideias e ambições. E quem melhor para fazer a Anita pensar um futuro melhor do que a nossa convidada mais do que especial que nos traz a cada aparição um relatório do futuro.

Ao longo do primeiro episódio de 2017, espalhamos sabedoria e conselhos ao vento sobre como nos prepararmos e armarmos para fazer face aos nossos sonhos e ambições, aos desafios e às oportunidades que não deixaremos de encarar.
   

Neste episódio mencionamos:
Teste de personalidade da Gretchen Rubin
“Screen free bedroom” no podcast Slow Your Home
Artist’s Way da Julia Cameron
Site da Biblioteca Nacional de Portugal

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas, mais coisa menos coisa, com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter | Instagram
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram
Constança Cabral: Blog | Instagram | Facebook
Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #15: Empreendedora e introvertida

A ressacar de uma semana e fim de semana intensos a nível de interações sociais, a Anita não se atreve a olhar-se ao espelho antes de sair de casa em direção a mais uma reunião. A vontade de se encolher no sofá, com uma manta até às orelhas, um livro ou a televisão quase sem som, e sem ninguém em redor, é tão visceral que a Anita tem medo de ver fumo a sair pelas orelhas.

Qual Chapeleiro Maluco, assim se sente a Anita, sem ter recarregado as baterias das competências sociais…desejosa de encontrar no fundo do buraco a poção ou o cogumelo que lhe permitem fazer das tripas coração e emanar uma energia e entusiasmo contagiantes.
Bem-vindos ao outro lado do espelho da Anita, introvertida, roçando a timidez, e das suas aventuras no maravilhoso e extrovertido mundo do empreendedorismo.

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas, mais coisa menos coisa, com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #14: A Anita e o teste de tortura – networking e marketing pessoal com a Rita Pelica


ritapelica

Depois de estruturar no papel o seu business model pessoal – porque acompanha as tendências empreendedoras do momento – a Anita tem de passar à ação, sendo consumida pela sua mente procrastinadora que a coloca entre a espada e a parede…chegou a hora do que para ela é o verdadeiro teste de tortura: o networking e o marketing pessoal. É tempo de agir e de se posicionar: tornar-se visível para os outros! E de organizar a sua agenda.

É que, para tornar o tema do empreendedorismo mais desafiante, a Anita consegue reunir duas das características menos propícias ao tema, e não, não estamos a falar da questão género, mas sim da introversão e da timidez. Uma combinação explosiva ou, melhor dizendo, implosiva!

Para não fechar as portas ainda antes de as ter aberto, a Anita recorreu a ajuda especializada: alguém que nos ensina a abrir portas, ou janelas sempre que apropriado.

Uma mente curiosa, com quase 20 anos de carreira, diverte-se de forma séria a juntar as peças do puzzle – leia-se pessoas – e a ajudá-las a encontrarem o seu espaço, o seu tempo e a serem melhores pessoas, todos os dias.

Especializada em Marketing e Gestão de Recursos Humanos, é responsável pela unidade de Outsourcing – Vendas e Marketing da EGOR e acredita que a mentoria e o networking são 2 super-poderes – é mentora no ISEG e na PWN Lisboa (Professional Women Network.
Learn. Share e Network é o seu mote. E é ainda, a full time, uma mãe babada de dois 2 rapazes, com quem diariamente partilha aventuras. O seu nome é Rita Oliveira Pelica e é feliz.

Recursos:
Business Model You
Professional Women’s Network
Meet Up
www.ravelry.com (Rede social de tricot e crochet. Lá, sou a billyramos)
InterNations
Toastmasters
BNI
LinkedIn
Perfil da Rita Pelica no LinkedIn

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas, mais coisa menos coisa, com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Especial Web Summit Lisboa

img_7947

Neste episódio especial, damos asas à capacidade de improviso e ignoramos uma das nossas regras fundamentais obrigando a Anita a falar à queima-roupa e a partilhar as suas impressões (ainda não completamente fundamentadas em opiniões) acerca do evento do momento: Web Summit 2016.
No âmbito da iniciativa Women in Tech, a Anita teve a oportunidade de fazer uma imersão no fervilhante universo tecnológico, deixando-se contagiar pela energia, dinamismo e ideias que transversalmente sobressairam ao longo dos 3 dias.

Em 3, 2, 1…A Anita na Web Summit.

img_7926

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #12: Dr Jekyll & Mr Hyde

No episódio de hoje a Anita é desafiada a fazer autopsicanálise e revelar o que a motiva a voltar as costas à segurança de um 9 às 5h e seguir os caminhos tortuosos e sinuosos de trabalhar por conta própria.

Após várias tentativas, das quais alguns relógios saíram em mau estado e o uso de óculos se tornou imperativo, conseguiu, por processo de hipnose, chegar a algumas conclusões…pelo menos, encontrou o seu Mr Hyde.

Neste episódio mencionamos:
Malcolm Gladwell “The Tipping Point”
Geekettes
Lean In Circles
Vales de empreendedorismo
Portugal 2020
Apoio à criação de emprego
Beta i
Episódio com a Mélanie Wolfram

E também:
Netmentora

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #11: A Anita nos antípodas…com Constança Cabral

constanca-cabral

No episódio de hoje, a Anita faz uma reinterpretação do “viagem ao futuro”. A nossa convidada vive nos antípodas, mais especificamente na Nova Zelândia, onde o amanhã se vive no presente.
Portuguesa, formada em Direito, viveu na Inglaterra rural antes de seguir caminho até à Nova Zelândia, um percurso que a fez virar do avesso, decidir não seguir carreira na área de formação e lançar-se a desbravar o novo mundo e o novo futuro, pessoal e profissionalmente.

Da necessidade de reinventar o seu plano, aguçou o engenho empreendedor: lançou um livro “Mãos à obra”, pôs à prova o seu potencial criativo, tem uma etsy shop e continua, com as mãos na massa, a criar e a inspirar-nos no seu blog.

Da sua missão, temos a certeza que fará parte a vontade de libertar a criatividade do mundo à sua volta, como nos deixa antever o seu lema “I make things. So can you.”. Mas ninguém melhor que a Constança para nos confirmar esta suspeita.

Constança Cabral: Blog | Instagram | Facebook

Neste episódio mencionamos:
Licença parental em Portugal
Liz Gilbert fala sobre a sua teoria do beija-flor

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #10: A Anita aprende a respirar – entrevista Ana Gil Campos

Bem-vindos ao episódio desta semana do Anita no Trabalho: a Anita aprende a respirar.

No início, o processo de aprendizagem até foi físico, pois a nossa convidada formou-se em Cardiopneumologia e fez o mestrado em Engenharia Biomédica na Faculdade do Porto, aprendendo ao longo dos anos as várias técnicas que foi aplicando à sobrevivência. No entanto, sentia que, provavelmente, não passava disso: sobrevivência. Assim, aos 30 anos, insatisfeita, decidiu parar e reaprender a respirar, fundo, bem no seu interior, revelando a sua alma através da escrita.

E foi deste modo que o ato de respirar deixou de ser artificial e forçado e se tornou quase imperceptível de tão natural que passou a ser.

Bracarense de nascimento – reconhecemos-lhe o “olhar de frente” e o “ar de quem pertence a si própria” que o Miguel Esteves Cardoso atribui às mulheres do Norte – encontrou o seu Norte com a escrita.

Escreveu para o Expresso entre 2009 e 2014 e colaborou com a revista Exame entre 2011 e 2013. Mas foi com o seu romance “A Segunda Pele da Acácia Mimosa” lançado em outubro de 2014 em Portugal e em abril de 2015 no Brasil, pela Chiado Editora, que revelou, de forma surpreendentemente madura, o seu talento.

Já no segundo romance, “Quando Ruiu a Ponte sobre o Tamisa”, publicado em Maio de 2016, pela Editorial Novembro, vem mostrar que está já além de jovem promessa.

Fiquem a conhecer a disciplina a toda a prova da nossa convidada, Ana Gil Campos.
10390453_1485392505059786_7898556084858774646_n
Ana Gil Campos: Blog / Facebook

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #9: A Anita e a primeira época de exames

Anitas-no-Trabalho

3 meses, 8 episódios, muitas pilhas de nervos, inseguranças e embaraço depois… a Anita deixa-se levar pelo espírito de contabilista – que não tem – e fecha para balanço.

Na verdade, é a desculpa ideal para ir de férias, mantendo a capa de ‘multitaskers’ inveteradas que nunca deixam verdadeiramente de trabalhar. Mentira, até aspirantes à omnipresença conseguem manter um leve toque de realismo e sabem que não há plano, ferramenta ou truque que garanta qualquer nível positivo de produtividade quando há sol, cheiro a mar e crianças à solta 24h/dia, 7 dias/semana. Ficaremos contentes se não causar danos permanentes ao cérebro!

Tendo em conta a altura do ano, o mais apropriado até seria chamar-lhe época de exames… até porque gostaríamos de ter a possibilidade de ir à época de recurso caso isto descambe.

Chega ao fim o primeiro trimestre – semestre na realidade -, em que o programa escolar nos levou a quebrar barreiras psicológicas – as nossas principalmente -, a aprender com os erros – nossos, também -, a corar de cada vez que publicamos um novo episódio ou alguém fala connosco sobre o projeto…mas, também, e sobretudo, a adorar a partilha, os comentários de quem se identifica e se revê nos temas que vamos abordando, as sugestões e a inspiração de quem por cá tem passado.

A auto-avaliação continua muito crítica, não fôssemos nós duas introvertidas com a mania da perfeição, mas a avaliação externa até tem sido animadora. Por isso, preparem-se para continuarem a aturar-nos no próximo ano letivo.

NOTA:
A Anita normalmente regressa ao trabalho a cada duas semanas com um ponto de situação nos seus projetos… no entanto, desta vez, mesmo sendo boas aspirantes à omnipresença, vamos fazer uma pausa um pouco mais longa e tentar recarregar baterias ao sol. Assim, a Anita regressa em Setembro. Até lá, enviem os vossos postais de férias ou sugestões de pauta para a secção Querida Anita, ou no Facebook.

De forma intermitente também nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #8: A Anita no campo – empreendedorismo em meios pequenos

Mélanie-Wolfram

“A Anita e a globalização” podia bem ser o título do episódio de hoje do Anita no Trabalho, no qual vamos ao encontro de uma francesa-alemã, que se deixou cativar pelo nosso Alentejo e assentou arraiais numa típica vila do interior, partilhando o seu conhecimento e paixão por arqueologia com locais e turistas, promovendo a faceta improvável de melting pot da vila de Arraiolos.

Não surpreende completamente quando se sabe que é a mais nova de 5 irmãos… a resiliência, força de vontade, independência advêm também daí.

Com um percurso académico e de investigação na área de arqueologia, a nossa convidada viveu a maior parte da sua vida em Portugal, dedicando-se, na última década, ao estudo da arqueologia no Alentejo, tema, em 2008, da sua tese de mestrado e que voltou a ser tema de eleição na tese de Doutoramento que defendeu em 2012 na Sorbonne.

Se tudo isto não era prova da sua paixão, a decisão de lançar um projeto de turismo cultural na região, que combina as paisagens irresistíveis à riqueza arqueológica e histórica, não nos deixa lugar a dúvidas… Mas o golpe de misericórdia está no nome atual do seu projeto “VAGAR” – após a necessidade de incutir-lhe uma reviravolta e torná-lo mais seu – e no lema que adotou “Com VAGAR se vai ao longe”…

Ninguém se atreve a dizer-se mais alentejano que… Mélanie Wolfram!!!

Vagar Walking Tours
Vagar no Facebook e no Linkedin

Mélanie Wolfram no Linkedin

ERT: Entidade Regional de Turismo do Alentejo

ARPTA: Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo

O tema do empreendedorismo em meios pequenos foi uma sugestão da nossa querida Margarida Pinto, que vive em Viana do Castelo e que, muito recentemente, resolveu abraçar um novo rumo profissional e aventurar-se como empreendedora.

Da partilha desta experiência com a Anita, a Margarida despertou-nos para os desafios que os meios mais pequenos apresentam, e que em conversa com a Mélanie foram ecoando, nomeadamente o ritmo mais lento, a desconfiança inicial, a resistência ao que é novo, e o menor número de oportunidades. Das cidades grandes sente-se a falta de contacto com “uma cidade a bulir, ideias a fervilhar…” e das vantagens do anonimato que “permite uma gestão do tempo, das escolhas, das ambições e frustrações, do próprio pensamento muito mais livre.”

Mas nem tudo é negativo, nos meios mais pequenos existem espaços que provavelmente uma cidade grande já há muito preencheu e onde há maior concorrência, e, ultrapassada a desconfiança inicial, há lugar a um inegável e valiosíssimo espírito de colaboração e entre-ajuda.

Aqui ficam alguns dos exemplos que a Margarida partilhou connosco, ao nível de casos de sucesso –
IvaVianaEscultura/ ou https://www.facebook.com/objectos.misturados/ – e da associação de pessoas – https://www.facebook.com/Inauguro/.

Se conhecerem mais exemplos que inspirem ou possam ser úteis, não hesitem em partilhar connosco e os nossos ouvintes.

E não se esqueçam:
A Anita regressa ao trabalho a cada duas semanas com um ponto de situação nos seus projetos…no entanto, como boas aspirantes à omnipresença, continuamos ligadas no anitanotrabalho.com, onde poderão conversar connosco através da secção Querida Anita, ou no Facebook.

Ou nas nossas plataformas profissionais:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.

Episódio #7: A Anita aprende a sonhar… com a Carolina Almeida Cruz

Carolina-Almeida-Cruz-sonho

No episódio de hoje, a Anita parte em busca do sonho. O sonho, é-o de uma vida inteira que despertou para o empreendedorismo aos 13 anos, idade com que criou a primeira empresa, mas que desde cedo elevou a uma dimensão solidária e social, movida pela generosidade altruísta que vai procurando e encontrando nos locais mais inóspitos ou nas situações mais inesperadas.

Estudou Psicologia Clínica em Portugal mas considera que o que a define em termos académicos são as formações que fez em 2011: Harvard — “Financials and Stewardship” e na Universidade para a Paz das Nações Unidas — “Entrepreneurship”.

Viaja desde sempre, e é essa a forma de se regenerar, mas tem sido também, a forma de se descobrir ou redescobrir, definir-se enquanto ser humano, descobrir de “que massa é feita, quais os seus dons, para onde vai…”

Trabalhou para a ILO, agência das Nações Unidas, no contexto do tráfico humano na América Latina em 2009. E continuou dedicada a projetos sociais num ano de viagem entre Índia, Nepal e Tibete, experiência que considera tê-la feito “desfragmentar-se”. Na sequência, em 2012, fundou a Sapana – da qual é CEO.

Sapana é a alcunha com que as crianças no Nepal a acarinharam, significa sonho. Carolina Almeida Cruz é o seu nome e acredita que somos do tamanho dos nossos sonhos.

Para saberem mais sobre a Carolina Almeida Cruz e a Sapana:

Sapana: Sapana.org  | Facebook

Carolina: Facebook

Podem encontrar-nos aqui:
Eli: nautilo.net | facebook | obvious | twitter
Billy: airdesignstudio.com | facebook | instagram

Créditos:
“Polygamie” de Gabriel Vigliensoni, através do Free Music Archive.